quinta-feira, 28 de junho de 2012

Logo tu...


De todos os invernos
Desde os mais remotos
Esse é o que arde no peito
Com tamanha intensidade
Que o frio não pode apagar
Que as manhãs imersas em sono
Causam mais embriaguez
Dentro das lembranças do teu jeito
Causam tontura
Ao lembrar das ondas intensas
Que teu beijo causa

Em todos esses dias
Teus cabelos ficaram em mim
Esse inverno há de passar
Pois nele também há de vir
A alvorada de sonho
Cheia dos raios da manhã
Molhadas do calor da tua pele
Que derrete, que desmancha
Qualquer impedimento

Nesse hora sou teu
Somente teu
A exibir o sorriso de menino
Com o universo aos meus pés
Cheio do teu cheiro
Com o corpo pequeno
Para ter tamanha alegria

Tenho certeza que ali és minha
Logo tu, que eu sempre quis
Logo tu, logo tu…

Numa entrevista de emprego...

- Muito bem meu rapaz!... Eu até que gostei de você, achei você bastante simpático. Vamos fazer um último teste: Vamos dizer que você está no pantanal e de repente aparece uma onça enorme, o que você faz? -, perguntou a entrevistadora.
- Se eu tiver uma arma eu atiro nela - respondi.
- E se o senhor não tiver uma arma?
- Aí eu pego uma faca e vou pra cima dela - cheio de valentia, argumentei.
- E se você não tiver uma faca? -, continuou a entrevistadora.
- Aí eu saio correndo.
- E se o senhor não puder correr?
- Tem certeza que a senhora gostou de mim?

terça-feira, 19 de junho de 2012

Mais um Bolsa Miséria...


Pois é... Esse mês entrará em ação mais um "Bolsa Pobreza" no Brasil. E dessa vez ele foi carinhosamente chamado de Brasil Carinhoso.  Será mais um novo benefício do governo para tirar as famílias que estão abaixo da pobreza e que tenham renda per capita inferior a R$ 70. E acreditem, somente serão esses os beneficiados (?). E mais, a familiar deve ter pelo menos uma criança de até 6 anos de idade.

Esse programa faz parte do Brasil sem Miséria, que foi lançado em junho de 2011, onde o objetivo era erradicar a miséria no país que, conforme dados da época, chegava a mais de 16 milhões de pessoas. Esse é mais um benefício que a presidente Dilma Roussef veio trazer em seu pronunciamento de rádio e TV, onde ela também destaca o aumento de crescimento de creches - como se isso fosse sinônimo de saúde, educação, comida, conforto, lazer e higiene.

Na minha singela opinião, o programa e o projeto não são mais do que outros incentivos à "produção desenfreada de crianças inocentes", além de não fazer realmente o que no fundo deveria ser feito para efetivar os ideais do programa.

Uma vez ouvi dizer de alguém por aí que não devemos dar o peixe, mas sim ensinar a pescar. Todos esses bolsas não-sei-o-quê simplesmente dão peixes e mais peixes a população. O mais cômico - para não ser triste -, é que o governo brasileiro em nenhum momento investe em educação para a população. A lógica é muito simples: quanto maior o investimento em educação, maior será o número de pessoas qualificadas para o mercado de trabalho e maior será o número de pessoas que possui um emprego digno. Mas não é bem assim que o governo pensa; definitivamente ninguém não acredita que a população, dentro desses parâmetros, seria capaz de produzir suas próprias "riquezas" e seu próprio sustento.

Na verdade, o governo não está induzindo o povo a pescar, mas a ter o peixe cozido, servido sem espinhas e com uma fatia de limão para dar um gosto... E o pior de tudo é que ele nem sabe que isso dará uma dor de barriga enorme no Brasil! Se já não bastasse o Bolsa Família, que já dá uma grana a pessoas que dizem não possuir nem emprego nem renda, esse Brasil Carinhoso dará para as familías com no mínimo R$70,00 per capita e que possuirem pelo menos uma criança de até seis anos....

O resultado disso será que as famílias agora terão no mínimo 20 filhos. As familías agora participarão de um ciclo sem fim: primeiro o casal tem um filho, depois eles começam a receber o benefício, após um tempo a criança terá de completar seis anos e quando isso acontecer, o casal terá outro filho. As crianças não têm culpa de nada. E mal elas sabem que a principal causadora disso tudo foi uma mãe que pretendia ajudá-las. Não é certo que todas as famílias utilizarão a verba para a educação e saúde da criança, consequentemente ela irá crescer e se tornar mais um cidadão que irá querer usufruir de algum bolda não-sei-o-quê.

Essa Dilma... Ninguém merece!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Rio mais Vinte, mais Quarenta...


Em 1992, na conhecida ECO-92, representantes de vários países se reuniram no Rio para falar do meio ambiente, de justiça social, do empobrecimento do mundo, da sustentabilidade do planeta. De lá para cá, muito se falou sobre esses assuntos, mas a verdade é que pouco se fez. É claro que o pouco que foi feito é importante, mas o meio ambiente continua a ser degradado, o planeta continua a ser cada vez mais poluído e cada vez mais sujeito à intempéries, a natureza continua a ser desrespeitada.

A justiça social se distancia mais e mais dos cidadãos e a pobreza aumenta, enquanto a riqueza vai para as mãos de poucos. Então, o que se espera desta Rio+20 que está acontecendo há alguns dias é que atitudes em favor do lugar onde vivemos sejam colocadas em prática, decisões sejam tomadas e executadas e boas ideias sejam aplicadas no sentido de modificar o cenário mundial atual.

Passaram-se vinte anos e a coisa não modificou muito, tanto é que o mundo todo está se reunindo para resolver problemas de vinte anos atrás. Não adianta falarmos bonito e na prática, não acontecer nenhuma mudança. Nossos políticos devem participar dessa discussão, porque eles, que legislam, devem tomar conhecimento da situação atual do nosso meio ambiente, de nossas gentes, do planeta Terra, para que façam o seu trabalho de maneira objetiva e efetiva. Digo tomar conhecimento, porque eles estão sempre muito bem, com todo o dinheiro público que corre em suas mãos, não fazem questão de se incomodar com a situação do povo, a situação do nosso planeta.

A coisa mais importante que a Rio+20 poderia fazer é cobrar dos nossos governantes e de todos os governantes do mundo, que façam o seu trabalho, qual seja: cuidar das pessoas e do lugar onde vivemos, fazendo tudo o que for preciso para evitar que se destrua tudo como vem acontecendo.

Sei que as coisas não vão se resolver de uma hora para outra, como que por encanto, mas também não pode ficar tudo no falatório, em acordos e tratados que não são cumpridos, ou quando são levados a efeito, é por uma minoria e parcialmente. Há que haver vontade política para colocar em prática ações que realmente previnam tragédias maiores do que as que vem acontecendo. A humanidade depende disso.

Se o ser humano não tomar providências de imediato para proteger o meio ambiente, a natureza, o lugar que nos foi dado para viver, nossa velha e cansada Terra não aguentará por muito tempo. É preciso agir. É preciso fazer. Falar, só, não adianta. E definitivamente, não podemos esperar por mais duas décadas para tentarmos melhorar algo!

O (mal)dito ciúme



Queima ao coração ódio desmedido,
Quando a vejo abraçando outro qualquer.
Quem é? - já te pergunto - o que ele quer?
Quase o derruba o meu olhar, traído.

Quebra a paixão a cena, o ato incontido.
Questiona-me o porquê, mas, se eu disser
Quanto te adoro, vais notar, mulher,
Que o culpado, o ciúme, tem sentido.

Controlar é difícil, mas eu tento,
Co'o relacionamento a se romper,
Cujo fim sofrimento há de trazer.

Como vivo de um nobre sentimento
Chamado amor, serei mais ciumento
Contigo, se por ele eu te perder.

sábado, 16 de junho de 2012

Citação do Dia



"A massificação procura baixar a qualidade artística para a altura do gosto médio. Em arte, o gosto médio é mais prejudicial do que o mau gosto... Nunca vi um gênio com gosto médio."

(Ariano Suassuna)

Parabéns para você, nessa data querida!



Ariano Suassuna, autor da clássica peça Auto da Compadecida, faz 85 anos neste sábado. Vida longa ao paraibano, membro da Academia Brasileira de Letras, cânone nacional que se mantém firme e forte. Ele foi indicado pelo Senado o candidato brasileiro ao Nobel de Literatura. Quem sabe não é dessa vez? Esse homem fez muito pela cultura do nosso país! Parabéns!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

E a ignorância do povo não tem fim!

(A extensa Rua Professor Gabizo e seus pouquíssimos cruzamentos)

NOTA:  A rua Professor Gabizo é uma das principais ruas que ligam o bairro da Tijuca até o Maracanã. Por toda sua extensão, existem cruzamentos com ruas menores que também são movimentadas, principalmente na hora de volta dos trabalhadores para a sua casa. Durante esse horário, ela apresenta um grande congestionamento e o trânsito fica literalmente parado.

LEGENDA:

Linha Vermelha: Rua Professor Gabizo
Linha Azul: Cruzamentos com a Rua Professor Gabizo

Pois é... A ignorância do povo não tem nem nunca terá fim! Contar-lhe-ei um pequeno acontecimento que ouvi das bocas de uma pequena senhora dentro do ônibus essa semana. Mas não se preocupem, você, meu caro leitor, ficará somente pasmo e não correrá o risco de contrair a ignorância alheia... Bem, pelo menos eu não peguei!

Estava eu, dentro da minha condução, indo em direção à minha faculdade, quando me deparo com uma senhora um tanto impaciente...O trânsito estava parado, todos estavam querendo voltar logo para casa depois de um dia cansativo de trabalho. A senhora roía as unhas, ficava se abanando para tentar disfarçar o calor que ali dentro fazia, bufava feito uma vaca cansada de pastar. Em determinado momento, uma outra senhora, um tanto mais calma (pelo menos aparentava estar mais calma), se atreve a perguntar à primeira "mas por que você está tão nervosa assim?" e a resposta foi certeira:

"É simples, minha amiga (?): eu estou meio atrasada e está todo engarrafado! O ônibus mal começa a andar e já tem que parar! Não sei para quê existe tanto sinal nessas ruas! Deve ser só para piorar a situação!"

E depois disso, a singela senhora deu mais umas bufadas, fez ainda algumas caretas e depois fechou a cara. Contrariada, a única coisa a ser feita era esperar... Pacientemente, eu a aconselharia.

Enfim, para quem não mora na cidade do Rio de Janeiro deve ficar meio dificil entender, mas para quem mora, até fica fácil. No entanto tentarei explicar como é essa Professor Gabizo. Para quem mora em São Paulo, imaginem como se colocassem semáfaros na Marginal Tietê; para quem mora em Minas Gerais, imaginem se colocassem um pedágio no meio da Rua Professor Patrocínio Filho; ou para quem mora em Amazonas, imaginem como se fossem feito obras nos rios, o número de cruzamentos aumentasse, o número de embarcações também, e além disso, colocassem sinais no meio do Rio Amazonas. Sem dúvida, haveria um congestionamento (no último caso, um "embarcaçamento"!).

A resposta para a pergunta da senhora é tão simples quanto a mesma: minha querida senhora - e espero mesmo que um dia você leia isso -, por mais que a gente esteja com pressa, os ônibus não vão avançar os semáfaros porque logo depois existe um cruzamento. E não, eles não estão ali a toa... Eles estão ali porque eles precisam estar ali. Talvez se não estivessem, o trânsito ficaria ainda pior, porque não haveria mais ordem... O pessoal da rua principal iria querer passar, os das transversais também e o pandemônio estaria sendo formado. Então ouça a voz de um homem não tão experiente assim. Vou dar dois conselhos: o primeiro é que se não estiver preparada para aturar o trânsito pesado, tome um calmante antes de sair de casa. Agora, se você não for adepta de remédios e não se achar tão nervosa assim, saia de casa mais cedo!

Citação do Dia

"A televisão nada mais é do que um meio de nos manipular e nos transformar em máquinas, tanto que ela até acaba mexendo com o nosso cérebro e o nosso sistema nervoso!"

Antônio Ferreira, 
Um tio meu que está passando uns dias aqui em casa.

OBS: Não tem foto do meu tio porque ele não deixou tirar... Por mais que eu insistisse!

domingo, 10 de junho de 2012

Estou de volta (de novo!)

Ahh, meus caros leitores, o que seriam de vocês se dependesse de mim? Nada!
Não vou ficar enrolando, até porque praticamente todos os meses eu saio por um tempo, depois volto me explicando e prometendo ficar, mas acabo tendo que sair por um tempo, depois volto promentendo mundos e fundos; e ficamos por um ótimo tempo nesse ciclo sem fim...

Mas como todo bom escritor (nem um pouco prepotente e arrogante, né?) não pode deixar de escrever, vamos ao trabalho. Espero que vocês gostem das minhas postagens e se divirtam um pouco nesse blog totalmente informal.

Aos seguidores da informalidade, preparem-se.... Porque eu estou de volta (de novo!)

Um abração a todos...

J.F.C.Silva

Pesquisar este blog

Você vai marcar a primeira opção?